Pular para o conteúdo

Risco na bolsa de valores

06/10/2010

Sempre que eu falava (parei pelos próprios motivos descritos na próxima frase) para alguém que invisto na bolsa, ouvia comentários impressionados e observações de que investir em ações é muito arriscado. Esse é o primeiro pensamento que as pessoas têm quando o assunto é o próprio dinheiro, ninguém realmente quer correr o risco de perder o que é seu. (Mas gastar comprando a última moda todo mundo quer kkk)

O conceito de risco no mercado de ações é algo que pode ser levado a uma discussão um pouco mais longa. A bolsa de valores é um investimento de longuíssimo prazo, local onde se deve colocar apenas dinheiro que não há necessidade de uso por um bom tempo. A ideia do risco é normalmente apontada para uma possível queda ou volatilidade no preço de uma ação, mesmo que essa queda for cíclica ou temporária e mesmo que o investidor não tenha vendido suas ações.

É meio confusa a definição de risco para as ações, já que conseguimos ter uma relação de segurança e insegurança para as mesmas ações em períodos diferentes ou até mesmo iguais. Este é mais ou menos o ponto que quero chegar. Historicamente é comprovado que o investimento em ações possui o maior retorno em longo prazo, mas se a volatilidade nos preços das ações durante esse longo prazo pode ser chamado de risco, então estas ações podem ser consideradas ao mesmo tempo seguras e inseguras.

Essa é uma parte bem interessante que mostra estes pontos, retirada do livro “The Intelligent Investor” e livremente traduzida por mim:

“Se um portfólio de ações de empresas qualificadas mostra um retorno satisfatório durante anos, o senso comum sobre estas ações é que elas provaram ser “seguras”. Durante o período o valor de mercado destas ações com certeza flutuou, mas só não foram vendidas por um valor abaixo do preço pago pelo investidor.”

O livro sugere que esta confusão pode ser completamente evitada se aplicarmos o conceito de risco somente quando temos uma perda subsequente da venda destas ações, um problema de gerenciamento, uma diminuição constante no lucro, poucas perspectivas, estagnação de crescimento, ou, ainda mais normal, o problema de pagar um preço muito alto em relação ao valor da empresa.

Depois de uma grande crise, como a de 2008, a maioria dos investidores considera o mercado muito arriscado. Mas esquecem-se de que o fato de os preços terem caído tanto, tornou as ações muito mais seguras do que antes. As pessoas acabam saindo da bolsa, quando na verdade deveriam estar entrando. E acabam esquecendo de que no longo prazo, a bolsa tende a render mais do que todas as outras aplicações.

Espero continuar escrevendo um pouco mais sobre risco nos próximos tópicos e assim cada vez mais justificar minha alocação entre 80 a 90% em ações!

From → Sem Categoria

22 Comentários
  1. Eu assino embaixo RP!

    E digo mais:
    Eu não entendo as pessoas que possuem 20% ou 30% alocados para ações no porfolio de Longo Prazo.

    A resposta da maioria é sempre “Queremos reduzir o risco”. Ué? Você não já não reduz o risco quando investe no Longo Prazo??

    Eu entendo a diversificação quando você escolhe participar do índice ao invés de alguma empresa específica. Mas pq entre modalidades de investimentos??? Sinceramente eu não entendo…

    Exemplo: Qual é o objetivo do investimento abaixo?

    10% ouro, 10% dólar, 10% RF, 10% DI, 10% Imóveis, 10% EFTs, 10% CDB, 10% Poupança, 10% títulos do tesouro, 10% mix pessoal de ações

    Pra mim esse tipo de investimento não faz sentido algum. Desta lista de 10 investimentos, qual é o melhor para o Longo Prazo? Se for ações, porque não colocar 100% nelas?

    Se a resposta for porque voce precisa de capital pra comprar uma casa ou carro eu entendo. Mas então monte outra carteira com objetivos de curto prazo. Assim, ao invés de alocar 20% pra RF, voce aloca o valor objetivo como meta (exemplo: Casa = 200K)

    Eu sei que o HC e outros investidores que acessam seu blog vão ficar triste comigo, mas ficarei muito feliz em ouvir as opiniões e justificativas deles. Alguma das vertentes tem que aprender alguma coisa!!

    Abraços e por favor podem soltar os leões!!

    • Sim VB, concordo com você. Mas nesse aspecto acho que cada um tem seus objetivos e sabe que risco pode correr. Mesmo eu não acreditando que o risco seja assim tão grande no longo prazo, no fim mesmo só sabemos que não sabemos o que pode acontecer hehehe

      Abraços e sucesso!

    • Concordo plenamente,

      Meus investimentos são de longo prazo, só pretendo acumular nos próximos 25 anos, por isso, tudo está em ações.

      Mantenho minha reserva de emergência na caderneta de poupança, mas investimentos mesmo, só ações.

      Abraço!

      • Meu prazo também é mais de 20 anos! Só não tenho 100% em ações (ainda) hehe

        Abraço Jônatas!

      • Olá gostaria do contato do e-mail do Jônatas, pois produzo um programa de educação financeira e preciso entrevistar alguém que investe para longo prazo…

  2. Olá Pessoal,

    As ações tem uma expectativa de retorno maior no LP mas se elas vão ter mesmo um retorno maior ou não é imprevisível. Elas podem ter um retorno bom ou um retorno ruim; se não fosse assim e as ações fossem garantidamente o melhor investimento no LP não haveria risco e não seria renda variável. O premio de risco existe simplesmente por que voce pode realmente perder dinheiro no LP.

    Além disto o Brasil historicamente tem tido juros muito altos e a bolsa tem perdido da Selic mesmo em períodos longos.

    Eu invisto 1/3 na renda fixa e 1/3 em fundos imobiliários que rendem de aluguel mais ou menos o mesmo da renda fixa por que o rendimento destes investimentos é maior do que a minha meta de rendimento e conseguiria atingir meus objetivos apenas com estes investimentos. Partindo do presuposto que devemos invesir no investimento mais seguro que atenda nossas necessidades, na verdade o mais estranho é eu correr o risco do mercado de ações mesmo sem precisar. – É a ganancia.

    Tenho também uma pequena parcela em ouro, que tem sido o melhor investimento do ano.

    Abs

    • InvFin! Sim, veja que em nenhum momento eu disse que o retorno será maior, mas disse que no LP a bolsa tende a render mais. E quanto maior esse prazo menor o risco.

      Vejo esse retorno histórico da renda fixa do Brasil como algo que provavelmente será muito difícil acontecer de novo. Em época de estabilidade econômica não vamos mais encontrar títulos pagando 18% a.a. Por isso acredito que o melhor caminho é a bolsa.

      Entendo sua alocação e acho que cada um sabe o quanto pode arriscar de acordo com suas necessidades. Realmente é muito difícil ver todo o patrimônio conquistado perdendo a maior parte do seu valor e ter paciência e sangue frio para não fugir.

      Abraços!

    • Henrique Carvalho permalink

      O comentário do Inv.Fin reflete bastante minha opinião. Até temos um portfólio parecido, com rendimentos parecidos!

      Fato é que em um país como os EUA, em que a RF paga muito pouco (Título de 5 anos pré paga em torno de 2%), a única alternativa viável é escolher a renda variável, já que a possibilidade de maiores retornos no longo prazo é maior.

      Entretanto, não se deve usar os dados do mercado americano para o Brasil. Aqui temos uma das maiores taxas de juros (nominais e reais) do mundo. Analisando o retorno da Selic e da Bolsa desde julho de 1994, a Selic ganha por mais de 1% ao ano.

      Nos EUA temos basicamente taxas de 2% em RF e uma taxa esperada de 8% em ações (spread de 6%). Aqui temos 12% em RF e uma taxa esperada de 15% (?) em ações (spread de 3%). Não são números precisos, mas é sempre bom relativizar esta diferença.

      Portanto, acredito sim que o investidor não deve alocar 100% em Bolsa. Nem Graham nem Warren Buffett pregam isso, visto a regra dos 70/30 deles.

      Mais importante do que tudo dito acima: Todo investidor é diferente. Então, argumentar sobre qual a alocação idela é perda de tempo.

      Aprecio bastante a observação de todos. É uma discussão bem interessante!

      Obrigado RP por disponibilizar este espaço para a discussão!

      Grande Abraço!

      • É realmente inressante analisar esse spread. Mas como disse antes, em minha opinião os juros vão ser cada vez menores. Penso que a maior alocação em bolsa é uma ótima opção.

        Concordo também em não ter 100% em ações, mas um dos principais argumentos é ter algo na renda fixa para poder aproveitar outras oportunidades. Graham sempre aconselhava 25% em renda fixa!

        Só discordo de você quando diz que essa discussão é perda de tempo! Acho que tudo pode ser discutido, gerando assim mais informação, opiniões e nos fazendo refletir cada vez mais. É sim uma discussão muito interessante.

        Abraços Henrique!

  3. Otávio permalink

    Qual seria o conceito de longo prazo mencionado no artigo? O risco sempre existirá, sobretudo pra quem faz Buy&Hold, onde não se tem a melhor relação risco/benefício, exemplo disto é quem estava comprado na crise de 2008, vendo sua carteira derreter 60% em alguns meses. Quem há 3 anos começou a investir na Bolsa ainda está no prejú (e essa volatilidade não é para ser subestimada, pois o mercado não tem uma distribuição tão normal e previsível assim como você acha, leia sobre tail risk / risco de curtose) Em nosso país devido a alta taxa de juros, investimentos em Renda Fixa serão sempre atraentes, principalmente devido ao menor risco comparado a Bolsa. É triste a realidade mas quem apóia de forma ortodoxa a ideía que a bolsa SEMPRE terá retorno real positivo a longo prazo precisa rever seus conceitos.

    • Obrigado pela opinião, Otávio! Meus investimentos serão para o prazo mínimo de 20 anos. Concordo que o risco sempre existirá, mas flutuação no mercado de ações é algo completamente normal, visto que os preços se dão de acordo com as ofertas e vontades dos investidores. Seu exemplo não está errado, mas se contarmos que o investidor continuou aplicando o DCA e buy and hold nos períodos da crise, com certeza não estaria no prejuízo. O maior problema é manter a calma vendo sua carteira perder 60%, como você disse. Sobre a renda fixa, nossa taxa de juros é alta sim, mas não acredito que iremos encontrar títulos pagando 18% ao ano como antigamente. Caso fosse possível, com certeza eu teria um portfólio alocado 100% em RF. Abraços

    • Otávio,

      Mesmo quem tem uma estratégia de comprar e manter, meu caso, pode comprar e vender em momentos interessantes.

      Um exemplo seria no caso da PETR, comprou há anos atrás e estava com rentabilidade, o valor começou a cair, o stop vende, continua caindo, ou seja, volta a comprar. Vc vende e compra a mesma ação, com isso obtendo apenas mais papéis.

      O negócio é continuar sempre atento, estudando e tomando decisões racionais.

      Abraço!

  4. Eder permalink

    Otávio falou td… O maior exemplo é o Japão que todo mundo comenta… Vai lah e fala isso de LP pra eles… Retornos passados nao garantem retornos positivos no futuro… Não é pq analisando os ultimos cem anos Ações foi o investimento que mais valorizou que você pode replicar para os próximos 100 anos.
    Acho que se conseguir ao longo dos anos investir e obter uma rentabilidade real de 6% a.a. estou extremamente satisfeito.
    É isso…
    Abraços

    • Olá Eder! O Japão considero um caso muito a parte, e alguns fatos podem demonstrar isso:
      1) A bolsa japonesa vinha de 40 anos de uma alta irracional
      2) O P/L do mercado japones no ano de 1989 estava entre 80 e 100
      3) Japão já era uma economia estabilizada e amadurecida no ano em que isso começou a ocorrer
      4) Não foi só a bolsa que caiu. O país inteiro sofreu muito durante esse período
      e 5) Com certeza há ações que subiram muito nesse tempo. Uma coisa é o índice e outra coisa são boas empresas cotadas a preços não-irracionais, como por exemplo a um P/L de 80.

      Sei que 20 anos de retorno negativo parece algo assutador, mas em minha opinião estamos em situações completamente opostas. Em meu plano não coloquei nada muito acima dos seus objetivos. Para mim 8% a.a seria satisfatório, mas acho que ainda podemos mais.

      Abraços e obrigado por participar

  5. Walter permalink

    Interessante jeito de pensar. O risco da bolsa diminui muito mesmo no longo prazo, o problema é conseguir aceitar a volatilidade do curto prazo….

  6. Oi! Estou entrando no mundo dos blogueiros $$$ tb !
    abs !
    http://investidordefensivo.blogspot.com/

  7. Leonardo permalink

    Só colocando mais um tempero na conversa: em caso de queda grande no valor das ações (como em 2008), quem tem uma parte do capital alocada em renda fixa pode se dar muito bem, comprando ações com preços muito mais baratos. Já quem está 100% em ações só pode lamentar. Um exemplo é o PIBB que saiu de R$110 pra cerca de R$50 em 2008. Quem realocou está rindo até agora, com PIBB a R$ 95. Concluindo, talvez seja interessante partir pra alocações de 80 a 90% em renda variável justamente nesses momentos (pós-crash). Abraço e parabéns pelo blog.

  8. É… ninguém leva em consideração o risco de não saber o que está fazendo, quando vai fazer alguma coisa. Parece que ninguém sofre desse risco.

    Queria saber também por que ter apenas uma fonte de renda, no caso um emprego, pode ser menos arriscado do que ter várias fontes de renda, no caos os dividendos de várias empresas.

    O Seu Manuel da padaria tem uma carteira concentrada num único investimento e vive bem!

    • É trivial saber o que estamos fazendo e em que empresas estamos investindo. Pra mim o risco na bolsa é da capacidade das empresas que você tem lucrar abaixo do previsto, não a volatilidade normal. Fora que todas elas são passíveis de quebrar. Diversificação também é muito importante. Com certeza se pudesse, o Seu Manuel também o faria hahaha. Abraços Arthur!

  9. Interessante o comentário de todos.

    No fundo eu acho que todos nós concordamos em discordar. A grande maioria entende os conceitos sobre diversificação e retorno esperado na bolsa, etc, etc. Só que mesmo entendendo o racional e com objetivos parecidos, ainda tomamos decisões diferentes. Provavelmente esta diferença de opinião se dê de acordo com o apetite de cada um pelo risco e o otimismo com o futuro.

    Eu pessoalmente sou muito otimista com o nosso futuro!

    Eu acho que ainda existe um deficit enorme de riqueza e é por isso que eu acho que as empresas vão crescer bastante!

    Enfim! Obrigado pelas opiniões e abraços!!

    • Verdade VB, concordo muito com você nestes pontos. Eu também sou muito otimista quanto ao futuro, acho que nosso país tem muito o que crescer ainda. É muito interessante essa discussão, agrega valor em qualquer tipo de investidor. Sempre é bom ouvir opiniões diferentes! Abraços e sucesso.

  10. Estou montando um blog sobre RENDA PASSIVA, MARKETING DIGITAL, MARKETING DE CONTEÚDO: http://www.webnergia.com.br/blog.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: